Correr na areia com tênis aumenta o risco de lesão, diz especialista

Patrícia Prieto, fisioterapeuta especializada em ortopedia e traumatologia, afirma que o ideal é correr na praia descalço

11

Férias, carnaval, verão e muito sol. Esses são apenas alguns dos inúmeros motivos que você tem para você visitar a praia nesse começo de ano. Mas e os treinos? Não vai deixar para depois, né? Se você nunca se exercitou na praia, tenha certeza que vai adorar.

Muitas pessoas me perguntam qual é o correto: correr na areia com tênis ou descalço. Para surpresa da maioria, o ideal é você praticar exercício descalço. Sabia dessa? Isso, quem disse foi Patrícia Prieto, fisioterapeuta especializada em RPG, ortopedia e traumatologia.

“O ideal é correr na praia descalço. A areia é um terreno acidentado e, a cada passada, existe uma exigência maior para que o corpo encontre seu equilíbrio. Isso significa que é um maravilhoso exercício de propriocepção”, explica Prieto.

De acordo com a fisioterapeuta, propriocepção que é a capacidade de reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão – chique, né?!

Todas as vezes que corri, eu fui de tênis, principalmente porque corria naquela parte de área batida, próxima à água. Me certifiquei se era dessa área mesmo que estávamos falando e sim: na areia firme ou na fofa, a recomendação é pé no chão.

“Isso se aplica tanto para a areia fofa quanto para a areia firme. Ao correr descalço na praia, além de aumentar a propriocepção, você ainda massageia a sola do pé, proporcionando um relaxamento na musculatura”, convence a especialista.

Para quem costuma correr de tênis, fica um alerta: praticar atividade física dessa forma pode aumentar o risco de lesão. A profissional explica que podemos nos machucar porque nós usamos mais o calcanhar e, consequentemente, aumentamos o impacto no joelho e no quadril.

correr-na-praia

Anúncios

Qual a diferença entre alongamento e aquecimento?

Muitas pessoas acreditam que aquecer o corpo e alongar os músculos é a mesma coisa, mas, na verdade, não é bem assim. O aquecimento e o alongamento possuem funções diferentes e podem ser realizados em momentos distintos.

Se você também tinha essa impressão, relaxe! Hoje vamos te explicar exatamente qual a diferença entre essas duas práticas, quais os benefícios de cada uma delas e qual é o momento ideal para praticá-las.

O alongamento é um tipo de exercício estático que fazemos para ter mais flexibilidade. “Ele melhora a mobilidade das nossas articulações e aumenta a amplitude do movimento muscular”, explica Carolina Dias, professora de educação física.

Já o aquecimento é uma prática realizada no momento em que preparamos o nosso corpo para a atividade física. São exercícios repetitivos, como uma corrida, uma pedalada ou, até mesmo, uma série de polichinelos, por exemplo. Eles ajudam a melhorar a circulação sanguínea e pode potencializar o treino.

13650589_10157154642575788_597068912_n

Agora que você já sabe a diferença entre elas, confira 2 perguntas sobre o tema que podem surgir quando você começa uma vida mais ativa de treinos:

1. Qual é melhor momento para fazer o aquecimento e o alongamento?

Isso tudo vai depender muito da atividade que você estiver fazendo. Porém, Carolina Dias recomenda que você aqueça o corpo antes de sua atividade e alongue os músculos após a prática.

Ela explica que o aquecimento deve ser um exercício parecido com o que você pretende realizar. Por exemplo, “para fazer corrida, o melhor aquecimento é a caminhada. Já para musculação, é bom fazer algumas repetições sem carga de agachamentos, flexões de braço, prancha e outros”.

O aquecimento deve ser feito antes porque vai servir como uma adaptação do corpo àquela atividade. Desta forma, o nosso organismo vai respondendo gradativamente e conseguimos um desempenho melhor.

“O alongamento pode ser feito depois do exercício como uma forma de soltar a musculatura que está fadigada”, sugere a personal trainer. De acordo com ela, não é preciso sentir aquela “dorzinha de puxando”, ok?

13672320_1129699237087171_1237091959_n

2. Mas afinal, o que devo fazer para evitar lesões: aquecimento ou alongamento?

“Mesmo que todo mundo acredite nisso, não existe Santa Rita do Alongamento. Ou seja, alongar antes do exercício não vai prevenir lesões – pelo menos a curto prazo”, afirma a educadora física.

Para ela, o que pode causar lesões é a falta de aquecimento, pois “as articulações, musculatura e até mesmo o coração não estão preparados para suportar cargas e esforço”.

Quer entender isso na prática?

Imagine um carro antigo. Antes, precisávamos dar partida e esperar que ele esquentasse, não é mesmo? Só depois disso o motor estava pronto para funcionar e fazer “esforço”. O corpo é mais ou menos assim, precisa entender o que está acontecendo com ele antes de reunir todas as energias.

– Nossa Carol, então é só aquecer que fica tudo bem?

Não apenas. “O que previne lesão é aquecer corretamente o corpo antes de começar algum exercício físico, executá-lo da forma correta se atentando à postura e com uma periodização acompanhada por um profissional da educação física”, conclui.
*Periodização: é um planejamento de carga, volume e intensidade dos treinos de uma pessoa.